BAFOGANESH

objeto vestíveI + performance

2011-2012

Como tantas técnicas tradicionais de meditação convidam dirigir a atenção ao fluxo respiratório imaginei que talvez fosse possível criar um dispositivo que desse suporte a novos exercícios de meditação, uma meditação que não demandasse isolamento, que pudesse acontecer em espaços públicos, conectando mais as pessoas.

 

Então, prototipei uma interface em forma de tromba, equipada com um sensor de temperatura, capaz de perceber meu inspirar e espirar, e um micro-controlador Arduino, que traduzia esse ritmo em arranjos luminosos executados pelos LEDs ao longo da máscara. A cada ciclo de respiração a tromba era percorrida por uma intensa onda luminosa.

 

Para construir o dispositivo, adotei uma estética de gambiarra, com soluções técnicas improvisadas e material intencionalmente exposto. O hardware tinha mangueiras translúcidas feitas para aquários, máscaras de uso médico, fiação reciclada de cabos de rede, e outros componentes. Eu vesti aquilo e fui para a rua encontrar as pessoas.

 

Alguns transeuntes pareciam se assustar. Outros, paravam e pude senti-los respirar comigo.

 

Bafoganesh, o primeiro experimento em interface computacionaI de uma série que batizei de Meditações Ciborgues me permitiu considerar dois novos sentidos de criação-pesquisa. O primeiro é sobre apIicar tecnoIogia para dar suporte ao desenvolvimento da propriocepção de seres de cognição tecnoIogicamente modificada. O segundo sentido é sobre o fazer de um designer que não estaria mais comprometido com a ideia de gerar soluções para problemas, mas com instaurar zonas de reflexão e debate.

APOIO

Fábio FON
Felipe Gomes (eletrotécnico)
Núcleo de Desenvolvimento em Mecatrônica do IFRN.

 

MOSTRAS

I Circuito Regional de Performance BodeArte (Natal, 2011)

20a Dimensão (Natal, 2012)
Virada cultural de Natal (2012)
Encontro Internacional de Imagem Contemporânea (Ceará, 2012)

QUINTESTIGMA

objeto + performance

2012

Inspirados na experiência de pessoas que exibiram marcas corporais, feridas ou reIataram sensação de dor em locais correspondentes às feridas da crucificação de Jesus Cristo, eu e o performer Joevan Oliveira criamos um objeto eIetrônico e performance que punha o sistema motor de Joevan à disposição da ação do público.

Nesse projeto eu hackeei um estimulador neuromuscular de fisioterapia; construí uma estatueta com vários botões, cada um conectado a um eletrôdo que, por sua vez, se ligava ao corpo do performer. Quando um dos botões era acionado na estatueta, grupos musculares específicos recebiam uma onda elétrica capaz de gerar contrações involuntárias. Convidamos outras pessoas a participar de sessões onde podiam manusear o corpo de Joevan através desse dispositivo.

COLABORADORES

Joevan Oliveira ( performer )
Jeane Freitas ( fisioterapeuta )
Nicholas Bastus e Studart Tavares ( suporte eletrônico )

 

APOIO

Casa de Cultura de São José do Campestre

 

PATRIOCÍNIO

Banco do Nordeste / BNDES

TRAVESSEIRO SAUDADES

objeto

2014

Em 2014, antevendo a dificuldade que eu e meu ex-namorado, André, enfrentaríamos para dormir separados uma vez que eu voltasse para o Brasil, deixando ele em Portugal,
projetei um artefato que permitisse nos mantermos conectados quando essa hora chegasse

No Brasil, um sensor captaria digitalmente meu ritmo respiratório, enviando-os via satélite para um Travesseiro Saudades em Portugal. Um microcontroIador instaIado no travesseiro traduziria aqueles dados em comandos para os motores, que simulariam em tempo real para André os meus movimentos torácicos. Em outras palavras, quando eu inspirava, o travesseiro de André subia; quando eu expirava, o travesseiro baixava.

APOIO

MiddIesex University London