Artesão multimídia, maker, cenógrafo, ilustrador e educador, mestre em Design (UFPE) com graduação sanduíche em Product Design (UFRN-Middlesex Uni. London). Atua desde 2008 em projetos interessados em corpo-tecnologia. Como artista visual desde 2007, se dedica a projetos individuais e parcerias com uma produção que ocupa mostras de artes visuais, de performance e de arte-tecnologia, tais como a mostra “À Nordeste” (SESC 24 de maio - SP, 2019), Cinecão: Do corpo ao espaço (Galeria MauMau, Recife, 2017), Corpo-Imagem-Cidade (10 Dimensões. Natal, 2012), Circuito Bodearte (Natal, 2009 e 2010). Realizou as mostras individuais À-Binário (Espaço Cultural do SEBRAE, Natal, 2009) e Não é Bom que o Homem Esteja Só (Espaço CuItural Mahalila, Natal, 2018). Recebeu prêmios no XI Salão de Artes Visuais da Cidade do Natal (FUNCARTE, 2007), no Salão Abraham Palatinik de arte e tecnologia (Pinacoteca do RN, 2007) e no XII Salão de Artes Plásticas de João Pessoa (2008). Participou das residências artísticas “Projeto Dencidade – Intervenção Urbana” (Natal, 2008), “Projeto Preto Branco” - Conexões Visuais, FUNARTE - (Areia Branca, 2010). Como membro do Colectivo Aladim, ao lado de Guaraci Gabriel e outros artistas, participou da 10ª Bienal de la Habana (Cuba, 2009). Com o Coletivo ES3, trabalhou no experimento cênico Cleansed, exibido na XI Prague Quadrennial of Performance Design and Space (República Tcheca, 2011). Também atuou como designer na Editora Universitária da UFRN (2014-2015) e no Estúdio Proa (Natal, 2015-2016) E criou o estúdio AYA+ . Integrou como pesquisador e artista o Laboratório de Inteligência Artística i! (UFPE) e defendeu a dissertação Política Estética do Design: A Suspensão de Programas Utilitários com orientação de Gentil Porto Filho (2018, UFPE). Atuou também no projeto “10 Dimensões: Diálogos em rede, corpo, arte e tecnologia” (UFRN/UFPB/IFRN/FAPERN, 2011-2012), coordenado por Fábio FON e Laurita Salles. Realizou as publicações independentes Bateu na mãe (2011), Rompazine (Ed. Tribo, 2016), e a dupla Manual para Máquinas de Sentar e ManuaI para Máquinas de Pisar (2018). Entre 2011 e 2014 realizou um dos seus principais projetos, a série de experimentos em interfaces humano-computador chamada Meditações Ciborgues, que recebeu o apoio do BNB/BNDES e da Middlesex University London e a colaboração do artista Joevan Oliveira. Atualmente, tem trabalhado como freelancer e em projetos autorais multimídias com o performer e namorado Vicente Martos.